terça-feira, 22 de maio de 2018

Cratera


o corte
pequeno e fundo
que trago
em uma das mãos
parece a miniatura
de uma cratera

é como se eu olhasse do céu
uma cratera na terra:
uma paisagem até bonita
levando em conta
que é fruto
de um desastre
um terremoto
um meteoro
ou até mesmo
de um vulcão

a cratera que carrego
em uma das mãos
é também uma paisagem bonita
levando em conta
que é, igualmente,
fruto
de um desastre

sexta-feira, 11 de maio de 2018

Infância


meu traço
é infantil

ainda hoje
desenho
como sempre
desenhei

o pulso torto
a mão sem jeito,
meio virada
a ponta do lápis
forçando o papel
numa brutalidade
de menina

meu traço
é infantil
e disso faço
um jeito
de voltar no tempo

terça-feira, 13 de março de 2018

Recado


toda dor que se sente
é a vida lembrando
um pouco da morte

é ela alertando
pelo muco
pelo febre
pelo olho fundo
que vendemos o riso
e que vivemos raso

todo sangue que se tira
é a vida lamentando
se é assim,
sem riso
e raso
que queremos viver

quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

Inteiro


o café passado
duas vezes
no mesmo filtro
no meio
de uma manhã
de domingo
me lembra
que a vida
pode ser
inteira

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Palco


a mim
não cabe
o palco

nasci
pra viver miúdo
enxergar
o que há no vão
na palma da mão
no miolo do pão

viver à margem
mergulhar na lágrima
explorar o poro
dissecar a dor

a mim
não cabe
palco
nem palanque

respeito menos
o aplauso
que o silêncio

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Voo


se um dia
a gente
despertasse
e quisesse
voar

a gente
cairia

no chão
na rede
na real
de que
a gente
não sabe mais
o que é
liberdade

quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

Traje

todos os dias
todo mundo
escolhe uma roupa
pra sair
trabalhar
visitar
resolver
comprar
amar
mentir
trair

todos os dias
todo mundo
escolhe uma roupa
e nem pensa
que este
pode ser
o último traje
antes
de alguma tragédia